CONHEÇA

      NOSSA HISTÓRIA

  • Fundação

    Dono da maior torcida da Amazônia, o Clube do Remo foi fundado em 5 de fevereiro de 1911 e reorganizado em 15 de agosto de 1911 para se tornar um monumento esportivo do Pará e patrimônio do esporte nacional.

    A história do Clube do Remo começa no início do século XX, época em que o remo era um dos principais esportes praticados no Brasil. No Pará, as competições eram realizadas às margens da baía do Guajará com a presença de excelentes públicos. Em uma dessas disputas, no ano de 1905, alguns atletas vinculados ao Sport Club do Pará decidiram se desligar do clube devido à alguns desentendimentos com outros companheiros de equipe momentos antes da realização de uma regata. Eram eles: Victor Engelhard, Raul Engelhard, Eugênio Soares, Narciso Borges, José Henrique Danin, Vasco Abreu e Jean Marechal (Eduardo Cruz).

    Esses sete atletas logo tiveram a ideia de criar um clube pelo qual pudessem desenvolver as suas atividades. A eles se juntaram outros desportistas que compartilhavam do mesmo interesse e, juntos, fundaram o Grupo do Remo, em 5 de fevereiro de 1905. O Estatuto Social foi divulgado no Diário Oficial do Estado, ano XV, nº 4.049, de sexta-feira, 9 de junho de 1905, o que consolidou a sua existência legal. O 15º descrevia a bandeira azulina como um “retângulo azul-marinho, tendo ao centro uma âncora branca, em sentido oblíquo, circulada por 13 estrelas da mesma cor”.

    Um dos fundadores do Remo, José Henrique Danin, relatou que a causa da cisão no Sport Club do Pará foi uma regata, na hora de formar as guarnições, e por causa exatamente da guarnição da qual ele fazia parte, com Raul e Victor Engelhard, e mais Eduardo Cruz, surgiram desentendimentos. A denominação inicialmente dada, Grupo do Remo, foi adotada a partir de uma sugestão de Raul Engelhard, que estudara na Europa e inspirou-se em um clube inglês, o Rowing Club.

    No dia 1º de outubro de 1905 o Grupo do Remo inaugurou a sua sede náutica, que funcionava em um prédio alugado da Intendência Municipal, localizado na Rua Siqueira Mendes. Naquela oportunidade, o Remo também promoveu a inauguração e o lançamento ao mar de sua primeira embarcação, uma baleeira chamada “Tibiriçá”.

  • Extinção e Reorganização

    Em 1908, o Grupo do Remo passou por uma grande crise que culminou com perda do contrato de aluguel da sede e a extinção do clube após reunião da Assembleia Geral realizada em 14 de fevereiro daquele ano. Porém, alguns integrantes não concordaram com a decisão e decidiram tomar para si os barcos que pertenciam ao clube. Os mesmo foram guardados em um galpão no terminal de inflamáveis de Miramar, cujo proprietário era Francisco Xavier Pinto, com a promessa de retornarem assim que reestruturassem novamente o Grupo do Remo.

    Reuniões se sucederam, sempre tendo como ponto de encontro o tradicional Café Manduca. No mês de julho de 1910, os rapazes ficaram sabendo que o contrato de aluguel da antiga sede com um estabelecimento comercial havia terminado e que poderiam novamente alugá-la.

    Foi então que no dia 15 de agosto de 1911, Oscar Saltão, Antonico Silva, Geraldo Mota (Rubilar), Jaime Lima, Candido Jucá, Harley e Nertan Collet, Severino Poggy, Mário Araújo, Palmério Pinto e Elzeman Magalhães, transportaram todo o material do clube, que estava guardado em Miramar, até a antiga sede. Esse ato decretou a famosa reorganização do Grupo do Remo e os responsáveis entraram para a história como o Cordão dos Onze Rowers Remistas.

    Na data de 29 de dezembro daquele ano, o Sr. Oscar Saltão propôs a mudança de nome para Clube do Remo. Entretanto, a proposta só foi aprovada pela Assembleia Geral em 1914, sendo anunciada pelo presidente da época, Nilo Penna, no dia 7 de agosto. A mudança representou um marco na vida do clube, que já passava a contar com outros esportes, como o futebol, implantado em 1913.

    Com isto ressurgiu o amado Clube do Remo. Clube de glórias e conquistas, tão aclamado por seus torcedores e detentor de triunfos inimagináveis, nas quadras, gramados e nas águas barrentas da baía do Guajará.

    Ave Clube do Remo, filho da glória e do triunfo!

  • Títulos

    Campeonato Brasileiro da Série C – 2005

    Campeonato Norte-Nordeste – 1971

    Copa Norte – 1968, 1969 e 1971

    Campeonato Paraense (45): 1913, 1914, 1915, 1916, 1917, 1918, 1919, 1924, 1925, 1926, 1930, 1933, 1936, 1940, 1949, 1950, 1952, 1953, 1954, 1960, 1964, 1968, 1973, 1974, 1975, 1977, 1978, 1979, 1986, 1989, 1990, 1991, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997, 1999, 2003, 2004, 2007, 2008, 2014, 2015 e 2018.

    Torneio Internacional de Caracas – 1950

  • Estádio Evandro Almeida

    O Estádio fica na principal via expressa de Belém, na Almirante Barroso, com a Travessa Antônio Baena. Ele foi inaugurado em 15 de agosto de 1917, nos festejos de comemoração dos seis anos de reorganização do clube. O nome Evandro Almeida foi dado em homenagem atleta e dirigente, Evandro de Melo Almeida, que faleceu no ano de 1965.

    Sede Náutica: Localizada na primeira Rua de Belém (Siqueira Mendes), a Sede Náutica, ou Garagem Náutica do Clube do Remo , faz parte do complexo arquitetônico da Cidade Velha, em Belém. A fundação da Sede Náutica foi realizada em 1905, quando foi lançado a primeira embarcação do Leão na Baía do Guajará.

    No dia 7 de março de 1923 a Sede Náutica foi adquirida de vez pelo clube, iniciando assim uma grande reforma. Ela foi inaugurada dois anos depois, no dia 12 de abril de 1925. Hoje ela abriga além de barcos, funcionários do clube. A Sede Náutica possui uma academia e um píer, além de uma vista privilegiada para a Baía do Guajará.

  • Sede Náutica

    Localizada na primeira Rua de Belém (Siqueira Mendes), a Sede Náutica, ou Garagem Náutica do Clube do Remo , faz parte do complexo arquitetônico da Cidade Velha, em Belém. A fundação da Sede Náutica foi realizada em 1905, quando foi lançado a primeira embarcação do Leão na Baía do Guajará.

    No dia 7 de março de 1923 a Sede Náutica foi adquirida de vez pelo clube, iniciando assim uma grande reforma. Ela foi inaugurada dois anos depois, no dia 12 de abril de 1925. Hoje ela abriga além de barcos, funcionários do clube. A Sede Náutica possui uma academia e um píer, além de uma vista privilegiada para a Baía do Guajará.

  • Sede Social

    Ela fica localizada no coração de Belém. Na Avenida Nazaré, Denominada de “Palácio Azul”, possui uma grande estrutura para receber os seus sócios e torcedores. A sede foi adquirida pelo clube no dia 11 de agosto de 1938, em um leilão. Ela passou por uma grande reforma em 1955 e foi entregue em 1959.

    A Sede Social conta com dois pavimentos e com um salão de festas. A Sede Social também abriga a sala da presidência, além dos departamentos de esportes olímpicos. Nela também possui uma Loja do Remo, garagem, além de um amplo parque aquático. Outro ponto interessante é que a Sede Social abriga os esportes olímpicos e possui um ginásio, denominado de Serra Freire, palco de jogos memoráveis de vôlei, basquete, handebol e futsal. Também na Sede, podemos desfrutar de uma quadra sintética de futebol society.

ÚLTIMAS

      NOTÍCIAS

Voleibol

Remo é campeão do Paraense de Voleibol Sub-19

Categorias de base

Sub-20: Leão encerra preparação para partida diante do Tapajós

Categorias de base

Sub-17 do Remo estreia na Copa Sesi nesta quarta

Nota

Nota Oficial